Coordenação de Esperanto

O Esperanto é uma língua  planejada, de fácil aprendizado, cujo objetivo é possibilitar a comunicação entre pessoas de línguas diferentes.

Concebido pelo médico polonês Dr. Lázaro Luís Zamenhof, sua primeira gramática apareceu em Varsóvia, Polônia, em 26 de julho de 1887.

De todos os projetos de língua planejada internacional, o Esperanto foi o único que se transformou, pelas suas virtudes, em língua viva, usada por uma coletividade disseminada em todos os países do mundo.

Sua internacionalidade máxima se mostra na gramática regular, de apenas 16 regras sem exceções, em seu vocabulário colhido nas grandes línguas de cultura e no fato de ser absolutamente neutro, isto é, de não pertencer a nenhuma nação ou grupo de nações, a nenhum credo, a nenhuma corrente política ou filosófica, sendo portanto propriedade de todos.

Não obstante sua genial simplicidade, o Esperanto tem bela sonoridade e é apto a expressar todas as nuances do pensamento, seja em sua já rica literatura original, seja nas versões das grandes obras da literatura universal, bem como no teatro, no cinema, na música, no rádio, na televisão, na imprensa e, modernamente, nas comunicações pela Internet.

Seu movimento mundial é dirigido pela Associação Universal de Esperanto, com sede em Rotterdam, Holanda, a que se filiam as associações esperantistas de todos os países.

Além da finalidade eminentemente prática de facilitar as comunicações internacionais, o Esperanto também possui a sua alma, a sua ideologia, que se resume em servir de ponte para a aproximação dos povos, reunindo-os em um terreno em que, pelo uso de um idioma neutro, as acessórias diferenças de cultura, raça, religião, entre outras, cedam lugar à consciência de que todos somos essencialmente seres humanos, membros de uma única família planetária, o que plenamente justifica o carinhoso título que todos lhe dão: Idioma da Fraternidade.

É por isso que o Movimento Espírita Brasileiro, desde 1909, vem prestigiando o Esperanto e seus ideais com o promover seu estudo, divulgação e utilização. Tal orientação foi cabalmente sancionada pelo Mundo Espiritual através das mensagem A Missão do Esperanto, ditada pelo Espírito Emmanuel a Francisco Cândido Xavier em 19 de janeiro de 1940, e O Esperanto como Revelação, ditada ao mesmo médium pelo Espírito Francisco Valdomiro Lorenz em 19 de janeiro de 1959.

Hoje o Esperanto é uma feliz realidade nos círculos espíritas do Brasil, tendo suas atividades norteadas em recomendações exaradas no documento Orientação ao Centro Espírita, emitido pelo Conselho Federativo Nacional da FEB e por ela publicado em 1980.

Por estar incluído na pauta de atividades do Conselho Espírita Internacional, abre-se para o Esperanto a grande perspectiva de vir a tornar-se, no grande futuro, a língua para as relações internacionais da crescente família espírita mundial, assim cumprindo plenamente a sua precípua finalidade. (FEB)

Missão do Esperanto

No cômputo das transformações por que passa o mundo, não são poucos os núcleos de organização espiritual que se instalam na Terra com vistas ao porvir da Humanidade. Se por toda a parte observamos o esboroamento das obras humanas, a fim de que se renove o caminho da civilização, contemplamos também as atividades do exército de operários das edificações do futuro, como se fossem construtores de um mundo novo, dispersos nas estradas terrestres, mas procurando ajustar suas diretrizes. São esses, sim, os artífices do progresso divino. Empunham o alvião formidável da fé, acima de tudo, n’Aquele que é a luz dos nossos destinos. No acervo desse aparelhamento de energias renovadoras, objetivando o vindouro milênio, quero referir-me ao Esperanto, abraçando fraternalmente o nosso irmão que se constituiu pregoeiro sincero da sua causa, obedecendo ao determinismo divino das tarefas recebidas nas luzes do plano espiritual.

Jesus afirmava não ter vindo ao Planeta para destruir a Lei, como o Espiritismo, na sua feição de Consolador, não surgiu para eliminar as religiões existentes. O Mestre vinha cumprir os princípios da Lei, como a doutrina consoladora vem para a restauração da Verdade, reconduzindo a esperança aos corações, nesta hora torva do mundo, em que todos os valores morais do Orbe periclitam nos seus fundamentos, assaltados pelas doutrinas da violência que embriagaram o cérebro da civilização atual, qual veneno amargo a destruir as energias de um corpo envelhecido.

Também o Esperanto, amigos, não vem destruir as línguas utilizadas no mundo para o intercâmbio dos pensamentos. A sua missão é superior, é da união e da fraternidade rumo à unidade universalista. Seus princípios são os da concórdia e seus apóstolos são igualmente companheiros de quantos se sacrificaram pelo ideal divino da solidariedade humana, nessas ou naquelas circunstâncias.
A língua auxiliar é um dos mais fortes brados pela fraternidade, que ainda se ouve nesse Planeta empobrecido de valores espirituais, neste instante de isolacionismo, de autarquia, de egoísmo e de nacionalismo adulterado.

O exemplo da Europa moderna nos faculta uma idéia dessa penosa situação. Todos os povos têm seus advogados entusiastas que, com orações ardorosas, justificam esta ou aquela medida de seus governos. As nações são grandes tribunas onde cada um fala se si mesmo, humilhando ou conquistando o que é de seu irmão. Cada um aplaude todo crime político, desde que seja praticado dentro de suas fronteiras. Entretanto, a grande Europa, essa entidade maternal e sublime, que cooperou para o aperfeiçoamento da Humanidade, que instruiu e educou, elevando o espírito do mundo, essa não tem advogados, não dispõe de uma voz que externe os gemidos de seu coração dilacerado, porque as fronteiras lhe dividiram todos os seus filhos, estabelecendo separações de areia e aço, transformando-a num deserto triste de corações, onde não existe a fonte de amor para reconfortar as almas.

Sim, nesta hora o Esperanto é uma força que atua para a união e a harmonia, com o facilitar que se estabeleça a permuta dos valores universais do pensamento, em forma universalista. Sonho? Propaganda só de palavras? Novo movimento para criar um interesse econômico? Todas essas suposições poderão ser formuladas pelos espíritos desprevenidos; mas, somente pelos desprevenidos, que aguardam a adesão geral, para comodamente expressarem suas preferências. Os que, porém, buscam a luz da sinceridade para o exame de todos os assuntos, saberão encontrar, no movimento esperantista, essa claridade reveladora que, em realizações sagradas, desde agora, esclarecerá, mais tarde, as idéias do mundo, fazendo ressaltar a nobreza dos seus princípios, orientados por aquela fraternidade que nasce do pensamento divino de Jesus, para todas as obras da evolução humana.

Sim, o Esperanto é lição de fraternidade. Aprendamo-la, para sondar, na Terra, o pensamento daqueles que sofrem e trabalham noutros campos. Com muita propriedade digo: “aprendamo-la”, porque somos também companheiros vossos que, havendo conquistado a expressão universal do pensamento, vos desejamos o mesmo bem espiritual, de modo a organizarmos, na Terra, os melhores movimentos de unificação.

Deus é venerado pelos homens através de numerosas línguas, de que se servem as seitas e as religiões, todas tendendo para o maravilhoso plano da unidade essencial. Copiemos esse esforço sábio da natureza divina e marchemos para a síntese da expressão, malgrado a diversidade dos processos com que exprimem os pensamentos.

Todo esse esforço é de fraternidade legítima e, rogando a Jesus que abençoe os trabalhos e as esperanças de nosso irmão presente, que lhe santifique os esforços e os de seus companheiros na tarefa que lhes foi deferida pelas forças espirituais, deixo-vos a todos vós os meus votos de paz, aguardando para todos nós, discípulos humildes do Cristo, a bênção reconfortante de seu amor.

(Mensagem psicografada por Francisco Cândido Xavier na cidade de Pedro Leopoldo (MG), em 19 de janeiro de 1940, durante uma sessão em que estava presente Ismael Gomes Braga, o grande pioneiro espírita-esperantista do Brasil.)     Emmanuel

(Portal FEB)

Resolução UNESCO de 1985

Conferência Geral da UNESCO. Vigésima terceira sessão. Sófia (Bulgária), 1985.

Resolução adotada em 8 de novembro de 1985, por ocasião da trigésima sexta sessão plenária.

11.11 – Comemorações do Centenário do Esperanto.

A Conferência Geral,

Considerando que em sua sessão de 1954, ocorrida em Montevidéu, através da resolução IV. 1.4.422-4224, anotou os resultados atingidos por meio da Língua Internacional Esperanto no campo dos intercâmbios intelectuais internacionais e compreensão recíproca entre os povos do mundo, e reconheceu, que eles coincidem com os objetivos e ideais da UNESCO,

Fazendo lembrar que o Esperanto desde então fez consideráveis progressos como instrumento de compreensão entre povos e culturas de diferentes países, penetrando na maioria das regiões do mundo e na maioria das atividades humanas,

Reconhecendo a grande possibilidade que o Esperanto representa para a compreensão internacional e comunicação entre povos de diferentes nacionalidades,

Anotando a contribuição muito importante do Movimento Esperantista, e principalmente da Associação Universal de Esperanto, para a divulgação de informações sobre as ações da UNESCO, assim como sua participação nessas ações,

Consciente do fato que em 1987 se comemorará o centenário da existência do Esperanto,

  1. Parabeniza o Movimento Esperantista por ocasião de seu centésimo aniversário.
  2. Pede ao Diretor-Geral continuar seguindo com atenção a evolução do Esperanto como recurso para melhorar a compreensão entre diferentes nações e culturas.
  3. Convida os Estados-Membros a marcarem o centenário do Esperanto por meio de eventos convenientes, declarações, publicação de selos especiais e semelhantes, e instigar a introdução de programas de estudo sobre o problema da língua e sobre o Esperanto em suas escolas e suas instituições de ensino superior;
  4. Recomenda às Organizações Não Governamentais Internacionais aderirem às comemorações do centenário do Esperanto e discutirem a possibilidade de utilizar o Esperanto como recurso para divulgar entre seus membros todas as informações, inclusive aquelas sobre as atividades da UNESCO.

Nesse espaço você encontrará livros em esperanto para downloadelsutoj:   

 http://www.febnet.org.br/site/estudos.php?SecPad=40&Sec=203

 AULAS DE ESPERANTO:

Sábado 14h – com Leandro de Souza

                                    

 Patro nia kiu estas en la ĉielo

Pai Nosso que estais no céu

Sanktigata estu via nomo

Santificado seja vosso nome

Venu al ni via regno

Vem a nós o vosso reino

Plenumiĝu via volo tiel ankaŭ en tero kiel en la ĉielo

Seja feita a vossa vontade assim na Terra  como no céu

Nian panon ĉiutagan donu al ni hodiaŭ

O pão nosso de cada dia, nos dai hoje

Pardonu niajn ŝuldojn tiel kiel ni pardonas  niajn ŝuldantojn

Perdoa as nossas dívidas assim como   nós perdoamos nossos devedores

Na permesu ke ni falu en tento kaj

Não nos deixeis cair em tentação

Liberigu nin el la malbonu

Mas livrai-nos do mal.

 Tiel estu.

Assim seja